7 erros em questionários que impedem você de criar uma pesquisa de sucesso

7 erros em questionários que impedem você de criar uma pesquisa de sucesso

Alguns erros são imperdoáveis para criar uma pesquisa de sucesso. Aprenda como evitá-los para construir o questionário perfeito.

Analisamos dados e buscamos respostas para tomarmos decisões o tempo todo, na vida acadêmica ou profissional.

Para chegar até as informações que precisamos, não tem jeito, em muitos casos fazer uma pesquisa é o melhor caminho.

Se você já passou por essa experiência, sabe bem, que criar um questionário não é das tarefas mais simples.

Mas também não precisa ser complicado. Basta que você tome alguns cuidados durante o processo para chegar a um bom resultado.

Hoje estamos aqui para te ajudar nesta tarefa. Com as dicas que separamos você vai ver que criar uma pesquisa pode ser algo intuitivo, se você começar da maneira correta.

Alguns erros são imperdoáveis neste caminho. Mantenha-os no seu radar para que eles não atrapalhem o sucesso da sua pesquisa.

E aí, pronto para começar?

1# Usar processos manuais para criar os questionários

Sair a campo com uma pilha de formulários em papel em mãos, se equilibrar em pranchetas para preencher o formulário e registrar no papel alguns garranchos não são as tarefas mais sensatas a se fazer.

Fuja desses erros usando as inúmeras funcionalidades que as plataformas virtuais oferecem para coleta e o armazenamento de dados.

Crie seu questionário e compartilhe tudo com outras pessoas de forma segura e muito rápida.

coleta e gestão de dados na prática

2# Criar uma pesquisa muito longa e complexa

Simplicidade é uma palavra-chave quando o assunto é criar uma pesquisa. Afinal, tempo é um artigo de luxo nos dias de hoje.

Se quiser que seus respondentes se mantenham engajados, atentos e não abandonem sua pesquisa no meio do caminho, seja direto. Crie um questionário objetivo, conciso e organizado.

3# Limitar as opções de resposta com critérios “sim” e “não”

Quando se deseja saber a opinião de alguém é muito mais efetivo entender o quanto que ela é favorável ou não a questão, do que simplesmente se ela é ou não.

Ao invés de limitar as respostas entre “sim” e “não”, use escalas. Você pode, por exemplo, atribuir peso 5 para a opção “concordo totalmente” e ir de um em um até o peso 1 para a opção “discordo totalmente”.

Este tipo de resposta permitirá que você meça a direção e a intensidade da opinião, favorecendo que você faça análises mais profundas.

4# Não comunicar sua intenção com as perguntas

Aquilo que é óbvio para você nem sempre é ( e diríamos que quase nunca) tão óbvio assim para a outra pessoa.

Portanto seja didático ao criar a sua pesquisa. Oriente as pessoas a responderem o seu questionário. Fale sobre a importância da participação dos seus respondes e da pesquisa. E lembre-se, nada de ser tendencioso, ok?

5# Organizar o questionário sem uma sequência lógica

Ao criar sua pesquisa garanta que suas perguntas são coerentes e seguem uma sequência lógica.

Comece com perguntas amplas e genéricas para envolver os respondentes com o contexto. Depois deste aquecimento, passe para as perguntas mais complexas. Conclua seu questionário com perguntas mais pessoais, como a coleta de dados demográficos, por exemplo.

6# Usar linguagem inadequada ao perfil de respondentes

Para obter as respostas que você tanto procura em uma pesquisa é preciso que você se faça entender. Portanto, sempre pense em quem vai ler o seu questionário.

Ao usar termos técnicos, jargões ou um acrônimo os explique ao criar sua pesquisa. Fale com seu público usando uma linguagem familiar a eles.

7# Não testar o seu questionário

Este é um dos erros mais comuns e aquele que costuma dar mais dores de cabeça quando se decide criar uma pesquisa.

Afinal, depois de concluir a coleta de dados, perceber que se tem um erro no questionário é uma situação desesperadora. Dependendo da gravidade pode até colocar horas de estudo no lixo.

Portanto, jamais esqueça de testar seu questionário antes de iniciar efetivamente a sua pesquisa.

Leia e compartilhe seu questionário para encontrar possíveis erros, avaliar se algo está confuso e ainda o tempo que as pessoas levam para responder. Tudo para deixá-lo redondinho.

Se você quer melhorar ainda mais seus resultados ao criar uma pesquisa e construir bons formulários não deixe de ler o Blog do Coletum.

Tags:,
Postagem anterior
Levantamento de dados em campo: 5 possibilidades para quem quer começar
Coleta de Dados

Levantamento de dados em campo: 5 possibilidades para quem quer começar

Próxima postagem
A coleta de dados em campo e os desafios de se trabalhar em equipe
Coleta de Dados

A coleta de dados em campo e os desafios de se trabalhar em equipe